Gerência de Pavimentos
 

A Gerência Rodoviária constitui-se atualmente em importante ferramenta do Administrador para traçar a forma mais eficaz da aplicação dos recursos públicos disponíveis, nas rodovias que necessitam de recuperação em diversos níveis de intervenção, de sorte a responder às necessidades dos usuários dentro de um plano estratégico que garanta o alcance de um maior número de quilômetros recuperados.

O DNIT, através de sua Área de Planejamento Rodoviário, desenvolveu um Sistema de Gerência de Pavimentos, com base em critérios estritamente técnicos, abrangendo uma rede rodoviária pavimentada de aproximadamente 50.000 km.

A Gerência de Pavimentos é alcançada através da utilização de um programa informatizado - SGPII - que trabalha com as informações de um Banco de Dados onde estão armazenadas todas as características relevantes de cada segmento rodoviário, tais como tipo e estrutura do pavimento, tráfego, condições estruturais (deflectometria), condições de superfície (defeitos existentes) e condições de rolamento (irregularidade), bem como dados de localização e geometria.

A Gerência de Pavimentos, através do SGPII, aliada aos programas desenvolvidos pelo Banco Mundial - HDM/EBM, pode traçar um Plano Gerencial capaz de permitir ao Governo Federal optar por uma atuação que permita uma condição de uso mais favorável, mediante a elevação do conforto e segurança dos usuários.

Basicamente, o Plano consiste na adoção e desenvolvimento de intervenções planejadas, que alcancem um conservação, revitalização ou restauração das rodovias, em substituição aos métodos clássicos e convencionais que demandam maior alocação de recursos e, portanto, menor percentual de recuperação da malha.

Para alcançar os fins colimados, o Banco de Dados necessita ser constantemente atualizado e consolidado, uma vez que a dinâmica de variação das condições dos pavimentos é bastante heterogênea, função das diversas condições de deterioração ou melhoria das rodovias. Para alcançar a atualização dos dados são executados periodicamente levantamentos de campo, através de campanhas de levantamentos das condições de pavimento em toda a rede ou em trechos específicos. Os dados levantados são então consolidados e introduzidos no Sistema.